Pranayamas 2 : Prana e nossas emoções

 

 

nadi shodana pranayama - respiração alternada

“A raiva produz respiração superficial, forte e ofegante; já a alegria, respiração profunda e regular”  Deepak Chopra

Nas aulas de yoga a palavra prana sempre está presente. Mas afinal de contas, o que é prana? Prana é a energia vital presente em todas as coisas vivas. É uma forma de energia mais sutil e está presente no fisico e no mental. Os chineses a conhecem  como chi. Quanto mais prana você tem, mais vitalidade terá nos seus processos mentais e corporais. Um cadáver, por exemplo, não tem prana. Quando equilibrado este dá origem as seguintes qualidades:

Vivacidade mental

Boa coordenação motora

Entusiasmo

Sono saudável

Forte imunidade à doenças

Ritmos corporais equilibrados

Vitalidade física

Realização Espiritual

O prana exaurido está diretamente ligado a doença e morte. Na Índia a conservação de prana é algo muito importante. Segundo os antigos ensinamentos existem algumas regras básicas para se obter mais prana:

 

Dieta: Coma alimentos frescos, água pura e evite ou diminua os industrializados. Animais mortos também não tem prana. Logo, a dieta vegetariana é ótima no quesito prana.

Exercícios: A atividade física aumenta o prana, porém não pode ser levada à exaustão, senão o efeito é o contrário.

Respiração: é a principal fonte de prana do organismo. Quando a respiração é refinada, lenta e regular, a circulaçao do prana alcança todos os níveis de corpo e mente, promovendo um estado de equilíbrio completo.

Comportamento: comportamentos tensos e estressados perturbam o fluir do prana. A atitude de nao-violência (Ahimsa) favorece o prana.

Emoções: o medo, a raiva, cobiça, a inveja desequilibram o prana. Essas emoções quando reprimidas  pela culpa ou vergonha também prejudicam o fluxo de prana gerando focos de inércia estagnação. E é essa inércia que gera doenças. A depressão é um estado quase completa ausência de fluxo de prana, que também pode ser associado ao envelhecimento e morte prematuros.

As mudanças de sentimentos são facilmente registradas no modo como a pessoa respira. A raiva produz inspiração superficial e expiração  forte e ofegante. O medo cria uma respiração rápida, rasa e desigual. Já a tristeza uma respiração entrecortada. Já emoções positivas como a alegria, amor, compaixão  trazem uma respiração mais regular, fácil e profunda.

O mais importante é que esse mecanismo funciona ao contrário: modificar a respiração gera emoções alteradas. E é aí que entram os pranayamas (técnica respiratória do yoga). Só o fato de parar e prestar atenção a sua respiração já ajuda liberar o estresse e deixar o corpo encontrar o seu equilíbrio.

Valéria Serafím

Bibliografia

Corpo sem idade, mente sem fronteiras – Deepak Chopra

 

 

 

 

 

 

 

 

Esta entrada foi publicada em Benefícios do Yoga, Perguntas Frequentes, Respiração. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *